top of page
  • Foto do escritorCarolina Thans

Uso de mídias sociais e saúde mental dos jovens: Como anda essa relação?

Atualizado: 23 de nov. de 2020

Um estudo realizado por pesquisadoras no Reino Unido, com mais de 10 mil adolescentes na faixa dos 14 anos, mostrou forte indícios de que o uso excessivo de mídias sociais se relaciona com sintomas depressão. Nesse estudo com 5.496 meninas e 5.408 meninos, abordou nas entrevistas assuntos como assédio online, baixa autoestima, insatisfação com peso, aparência e qualidade de sono e como tudo isso permeava o uso das mídias sociais, gerando sensação de infelicidade e depressão


Segundo o estudo, muitos caminhos relacionam o uso das redes sociais com a saúde mental dos jovens. Dormir com o celular perto, se preocupar em estar checando as redes sociais o tempo todo, faz com que a qualidade do sono caia, pois acordam de noite. Usar o celular antes de dormir também tem consequências já que a luz azul atrapalha a produção de melatonina, hormônio responsável pelo sono. O cérebro identifica como se estivesse de dia, entendendo que precisa ficar ligado.

jovens e mídias sociais

Por estarem mais vulneráveis e construindo sua personalidade, podem ficar mais suscetíveis a críticas como feedback e comparações negativas nas redes sociais. Muitos jovens se deixam levar pela imagem de perfeição que veem nas redes, acreditam que todos estão bem, menos eles.


Alguns dados encontrados na pesquisa:

· Entre o uso que causava sintomas depressivos estava relacionado a assédio online, falta de sono, baixa autoestima e imagem corporal.


· Associação maior entre o uso mídia social e sintomas depressivos foi maior entre as meninas.


· Meninas relataram mais uso das mídias sociais do que meninos. Mais de 2/5 usavam por 3 ou mais horas por dia, em comparação com 1/5 dos meninos. (43,1% x 21,9%)


· Sobre o assédio online, 38,7% das meninas apresentaram mais propensão de serem vítimas, e 25,1% dos meninos.


· 12,8% (703) das meninas e 8,9% (481) dos meninos) relataram baixa autoestima


· Insatisfação com peso corporal: 78,2% (4.298) das meninas e 68,3% (3.694) dos meninos.


· Descontente com a aparência: Meninas 15,4% (846) - meninos 11,8% (638)


· 27,6% (1.517) meninas e 20,2% (1.092) meninos, relataram ter seu sono interrompido durante a noite.

· Meninas e meninos de baixa renda e famílias com apenas um dos pais, possuem mais probabilidade de usar as mídias sociais por mais de 5 horas por dia.


· Para as meninas uso das mídias sociais por mais horas, estava associada a um aumento de sintomas depressivos. Para os meninos, os sintomas depressivos se mostraram altos com um uso acima de 3 horas por dia.


· O maior uso das mídias sociais se relacionou com menos sono, demora para adormecer e interrupções durante a noite. Com um uso igual ou acima de 5 horas por dia, foi associado a 50% de chance de perder 1h a mais de sono.


· Mais horas usando mídias sociais estavam relacionadas à insatisfação com o peso corporal e à infelicidade com a aparência (≥ 5h por dia tem 31% mais probabilidade de ficar insatisfeito e 8% maior infelicidade)


Os dados nos ajudam a ter uma dimensão dos riscos, mas quem tem filhos adolescentes, e até nós adultos, sabemos como não é simples estar nesse mundo digital, e como precisamos ter cautela ao usar as mídias sociais, limitando nosso uso e buscando sempre uma forma de fazer um uso consciente.




Referência:

ARTIGO: Social Media Use and Adolescent Mental Health: Findings From the UK Millennium - Cohort Study (Uso de mídias sociais e saúde mental de adolescentes: resultados do estudo de coorte do milênio no Reino Unido

27 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page